Feeds:
Posts
Comentários

O Carmelo da Santa Face e Pio XII irá publicar as Poesias de Madre Maria do Carmo agora em forma de CD.Pedimos que rezem por este empreendimento, pois o nosso objetivo, é que Deus seja mais  amado e Louvado, através das Maravilhas realizadas na Vida de nossa Carminha.

Ir.Lucia Maria

Ir.Lucia Maria

Ir.Maria do Carmo

Ir.Maria do Carmo

 

Diácono Alberto

Diácono Alberto

“Ó Palavra de Deus, és meu sustento, Evangelho sagrado de Jesus! Á minha alma revela o sacramento Desse Verbo adorável que seduz!…” ( Madre Maria do Carmo)

                      madre maria do carmo                         Queremos apresentar, mais uma carmelita Descalça. Trata-se de Madre Maria do Carmo da Santíssima Trindade, monja professa, fundadora do Carmelo da Santa Face e Pio XII, em Tremembé – SP, Brasil.

                        Carminha como é conhecida, nasceu em Itu no Estado de São Paulo, a 25 de novembro de 1898, mas logo depois se transferiu para Campinas com sua avó paterna e na – Matriz Velha – hoje Basílica do Carmo, foi Batizada e fez sua primeira comunhão. Foi uma menina muito viva, e desde pequenina apaixonada por Jesus. Tal amor a levou com a idade de 3 anos fugir de casa e ir à Igreja, para participar da “mixa do colação de Jesus”.

                   Como todas as jovens de sua idade, tinha muitos amigos, sonhava com o casamento, e até chegou a ficar noiva, mas Nosso Senhor a tinha escolhido para uma missão bem diferente.

                  Seu coração vibrou ao receber no longínquo 23 de setembro, de 1917, a graça da vocação religiosa.

Chamou-a o Senhor tão clara e decisivamente que sua existência se transformou:

                     “A tudo dei de mão, sem mais passado olhar!”

                     E no dia 21 de abril de 1926 começa sua vida de Carmelita, com muito fervor. Mas a natureza não dorme, nem tão pouco o inimigo de nossa salvação. E a saudade da família quase a esmaga, mas Jesus vence!

                    Seu ardente desejo de assemelhar-se a Jesus Manso e Humilde de Coração, sua grande sede de consolá-lo e amá-lo, a impelem, nesta escalada ao Cume do Monte.

                    E é esta Carmelita que queremos apresentar para a Igreja como modelo de virtudes cristãs.

                     Sua canonização contribuirá para manter vivo e espalhar seu ideal: adorar a Sagrada Face de Cristo e reparar os ultrajes contra ela cometidos. Também fortalecer no coração dos fiéis o  Sensus Eclesiae  que a levava a uma imolação constante pelo Pontífice reinante, através do exercício diário da Via-Sacra e de uma vida totalmente doada, na simplicidade, humildade e caridade, que atinge seu ápice na unidade entre as pessoas – Congregavit nos in unum Christi amor! (O amor de Cristo nos uniu) (Este era um dos seus lemas).

              Termino pedindo a todos que nos auxiliem com suas orações, neste desafio que queremos enfrentar, pois acreditamos que o exemplo de vida da Madre Maria do Carmo da Santíssima Trindade, fará grande bem às almas, e sua intercessão junto a Misericórdia Divina alcançará grandes graças para a humanidade tão sofrida e também tão afastada da única fonte da verdadeira felicidade. Que tudo seja para maior honra e glória do Nosso Bom Deus.

 

Carmelitas de Tremembé.

Desejando que Jesus seja mais Amado e Glorificado através das maravilhas realizadas na vida de Madre Maria do Carmo, as Monjas do Carmelo de Tremembé decidiram reeditar o livro “Carminha de Tremembé em Fotos e Poesias”, onde mostra toda a beleza de uma alma que se tornou, pela correspondência à graça, um “Poema” para o Divino Coração de Jesus; de estrofes singelas no principio da vida religiosa e de majestosa harmonia em seus acordes finais.

O Livro pode ser adquirido no Carmelo da Santa Face e Pio XII em Tremembé.

                         A Madre Maria do Carmo da Santíssima Trindade, monja do Carmelo da Santa Face e Pio XII de Tremembé, uma pequena cidade do Vale do Paraíba, onde ergue-se a Basílica Menor do Senhor Bom Jesus, foi uma carmelita fiel ao seu carisma.

                     Soube amar a Igreja e como Teresa de Ávila ser Filha da Igreja. No Carmelo, desde o inicio, manteve sempre um grande amor para com os sacerdotes. Não há Igreja sem o sacerdócio, sem a Eucaristia, e sem o perdão dos pecados.

                     A carmelita tem consciência da importância dos sacerdotes por isso eleva a Deus sua oração para que eles sejam cada vez mais como Cristo, que com amor perdoa os pecados e que continuem a tornar presente na Eucaristia a presença real e viva de Jesus.

                          Não há nada que possa se comparar com a beleza do Sacerdote, e nada que toque tão profundamente o coração como quando pensamos na grandeza e humildade de Deus : Ele é o criador de tudo e quer necessitar da criatura para que seu amor possa ser derramado em profusão sobre a humanidade a caminho de eternidade.

                              Santa Teresinha diz com toda simplicidade “eu quero ser sacerdote! Com que amor chamaria Deus sobre o altar e com que amor daria Jesus as almas.”

                           Carminha de Tremembé teve um amor excepcional pelos Sacerdotes, especialmente por aqueles que ela conheceu e que Deus colocou na sua vida para que a ajudassem a superar as dificuldades e caminhar com passos mais rápidos para a santidade. Ninguém pode dispensar a ajuda e a presença dos Sacerdotes ao longo de sua vida. Todos necessitamos de sacerdotes, e mesmo os sacerdotes, necessitam de outros sacerdotes para que seus pecados lhe sejam perdoados. Nem o Papa pode perdoar a si mesmo os seus pecados, ele como todos os sacerdotes quando pecam devem pedir a outro sacerdote que lhe conceda o perdão de Deus.

                          Na vida da Carminha encontramos explicitamente a presença dos Carmelitas Descalços e entre eles houve o Frei Ludovic Arioli, ocd, que por muitos anos foi seu confessor, seu diretor espiritual. Ao Frei, ela dedica uma pequena poesia. Vale a pena oferecê-la a todos os sacerdotes neste ano sacerdotal para que todos possam assumir com amor, responsabilidade a sua vocação a sua missão e através das palavras da Carminha possam rever como é importante os seus gestos sacerdotais de chamar Jesus ao Altar e de perdoar os pecados, de abençoar.

                            A meu Pai Se te vejo, meu Pai, sobre o altar inclinado

                           E o Verbo se encarnar à tua voz bendita,

                           Sorve o Sangue enfim no Amor transformado,

                           É grande o goso meu…mas, não te invejo a dota1

                          Se a tua destra sobre o meu pecado

                         A cruz da Redenção traçar, larga e infinita,

                         Minha alma se estremece ao gesto abençoado

                         E teu poder bendiz de Padre Carmelita.

                        Mas ah! Se te pressinto no horto da agonia,

                        Do cálice da amargura extravasar a lia…

                        Meu ser padece então, a fome de tua cruz…

                        E nela o sacerdócio que esplendesse a flux

                       Divino ao longo sol fecundo, abrasador,

                      Que o mal expia e o mundo salva pecador!

 

                        O ano sacerdotal para o Carmelo e para a carmelita é muito importante, é um “poder reviver” nossa espiritualidade e ver como ao longo do séculos Teresa, Teresinha, Elisabeth da Trindade, Edith Estein, Carminha, Madre Maria José, Madre Imaculada e tantas outras souberam amar os sacerdotes com amor .

                    Envolve-lôs com o manto da oração. É na oração que se devem mostrar especialmente o amor para os sacerdotes. Todos eles devem fazer do Carmelo a sua casa e das irmãs carmelitas suas irmãs que sem cessar suplicam ao Senhor para que nunca sucumbam ao peso do Pecado.

                   Que todos os sacerdotes da Diocese de Taubaté possam fazer do Carmelo de Tremembé o seu refúgio, o lugar de oração, onde sempre vão encontrar irmãs que os amam e que rezam por eles.